Como sei se o meu filho está realmente obeso?

Ele deve passar por uma avaliação médica, pois através de gráficos e índices pode-se confirmar se ele apresenta obesidade ou sobrepeso e ainda precisar o número quilos em excesso.

Qual a diferença entre sobrepeso e obesidade?

A grande diferença está no número de quilos acima do normal para a idade. No sobrepeso a criança está poucos quilos acima, é difícil muitas vezes de olhar e saber se realmente está ou não com sobrepeso, e na obesidade são muitos quilos acima no normal. Para termos a certeza sempre avaliamos através de gráficos e o índice de massa corporal (IMC). É importante salientar que mesmo no sobrepeso a criança já pode ter sinais de complicações como hipertensão ou colesterol alto.

Qual a frequência da obesidade infantil no Brasil?

Depende da região, sendo mais prevalente na região Sul e Sudeste e menor na Norte e Nordeste, variando de 10 a 25% entre sobrepeso e obesidade. Nos EUA mais de 35% das crianças estão acima do peso.

O que causa a obesidade nas crianças?

A obesidade está relacionada a um desequilíbrio energético. Podemos pensar como uma balança, onde eu tenho uma maior oferta, na maioria das vezes de alimentos, com um menor gasto, ou seja, pouca atividade física. Como resultado, há excesso de gordura, que é a obesidade. Na maioria das crianças a causa é alimentar, mas há outros tipos de obesidade de causa genética com tratamento específico.

A partir de quando devo me preocupar com obesidade?

Em todas as fases da vida. Na gestação, pois o aumento de peso materno propicia que a criança ganhe mais peso na vida adulta, pelo aumento do número de células gordurosas. Evitando o uso precoce de leite artificial em bebês que proporcionam um ganho exagerado de peso. Cuidando com a introdução dos alimentos após os 6 meses de modo que o bebê e posteriormente a criança, não adquiram hábitos alimentares incorretos. Conscientizar os pais que as crianças entre 2 e 3 anos, passam a comer menos, e que os mesmos não devem insistir no consumo de alimentos ou dar as guloseimas como biscoitos e doces como forma de compensação porque não querem comer. Cultivar hábitos saudáveis na alimentação por toda a vida com pouca fritura e gordura, muitas fibras e estimular sempre a atividade física.

O computador ou a televisão podem influenciar na obesidade?

Com certeza. O tempo que uma criança fica no computador ou TV, está relacionado com a obesidade. Isso porque elas ficam paradas, comem e não observam a quantidade que estão comendo, além de assistirem a algumas propagandas na TV que estimulam o consumo de alimentos. Desta forma os pais devem reduzir para menos de 2 horas diárias estas atividades e no restante estimular brincadeiras, pois assim estarão queimando energia e prevenindo o ganho excessivo de peso.

Mas porque eu tenho que me preocupar tanto com a obesidade infantil?

É uma das doenças que mais cresce em todo o mundo, tanto nas crianças como nos adultos. Sabemos que se um dos pais é obeso, a criança tem em torno de 30% de chances de se tornar um adulto obeso, se o pai e a mãe são obesos, as chances aumentam para mais de 50% e ainda se chegar à adolescência acima do peso, há 70% a 80% de chances de permanecer como um adulto obeso. Além disso, a obesidade é um grande fator de risco para diabetes, dislipidemia e doenças cardiovasculares podendo levar a morte precoce.

Quais as complicações da obesidade na criança?

Ela pode acarretar baixa auto-estima, isolamento social, depressão, problemas ortopédicos, colesterol alto, pressão alta e diabetes tipo 2. Interessante que não apenas as crianças obesas podem apresentar estas complicações, mas também aquelas que estão poucos quilos acima do peso (sobrepeso), devendo sempre ser avaliada de modo completo.

Uma criança pode ter colesterol e pressão alta?

Sim, é na infância que se inicia a formação das placas de gordura através de uma alimentação inadequada e que se pode dosar através de exames de colesterol e triglicerídeos. A pressão também já pode estar elevada, muitas vezes necessitando até de medicação, pois este conjunto de colesterol e pressão alta pode levar a um infarto precoce entre 30 e 40 anos.

Quais são os alimentos ricos em colesterol e triglicerídeos?

Os alimentos ricos em colesterol de um modo geral são todas as frituras e a gordura de origem animal. As pessoas que querem evitar o colesterol e triglicerídeos devem comer menos doces, bolachas, massas, pois estes se transformam em gordura de depósito no nosso organismo.

E a criança com excesso de peso pode ficar diabética?

Pode sim. É uma das principais complicações hoje nos Estados Unidos, onde quase a metade dos novos casos de diabetes são do tipo 2, ou seja, devido a obesidade e aos maus hábitos alimentares.

O que fazer então para prevenir a obesidade?

A mulher deve evitar o ganho excessivo de peso na gestação, aleitamento materno exclusivo até os 6 meses, introdução correta da alimentação nos primeiros anos de vida, evitar guloseimas (bolachas, chips e doces) e bebidas doces (refrigerantes e sucos artificiais), estimular o consumo de frutas e verduras e com isso hábitos de uma alimentação saudável, reduzir o tempo de computador e TV e estimular esportes e brincadeiras.

Qual é o tratamento para obesidade?

O tratamento é complexo, depende do tipo de obesidade (excesso de alimentos, doenças como hipotireoidismo ou doenças genéticas). Deve-se primeiro ser avaliada a causa da obesidade e atuar neste ponto. O tratamento é sempre individualizado, mas passa por mudanças no comportamento.

O meu filho está “gordinho”, então eu devo procurar um endocrinologista pediátrico?

Sim, ele é o profissional especializado que cuida desta área, capacitado para avaliar corretamente e saber se é uma obesidade exógena, ou seja, só alimentar, ou se envolve outras doenças hormonais ou mesmo genéticas, para então posteriormente orientar a melhor forma de tratamento.